Família denuncia que homem foi preso por engano em Caldas Novas por crime cometido na Bahia

Caldas Novas / 412

Parentes acreditam que ele teve documentos usados irregularmente ou até mesmo sido confundido com um irmão. Homem está preso há 13 dias e não viaja à Bahia há 20 anos, segundo advogado.

Uma família de Caldas Novas, sul do estado, denuncia que um homem foi preso por engano suspeito de tráfico de drogas na Bahia, estado que ele não visita há 20 anos. Os parentes acreditam que os documentos dele possam ter sido clonados ou até mesmo ter sido confundido com um irmão.

O auxiliar de serviços gerais Edvaldo Andrade Santos, de 48 anos, foi preso no dia 7 deste mês. A investigação e o mandado de prisão foram feitos na cidade de Ruy Barbosa (BA). O crime atribuído ao homem teria acontecido na cidade entre os meses de fevereiro de julho e 2021.

A esposa dele, Isabel Francisca de Lima Santos, está angustiada com a situação.

"Está sendo muito difícil. Estamos correndo contra o tempo atrás de provas para mostrar que não é ele o procurado e tirar ele da cadeia. Os dias estão se passando e ele está lá, pagando por uma coisa que ele não deve”, disse.

O advogado da família, Adoelton de Freitas, disse que não sabe exatamente como o nome de Edvaldo foi associado ao crime. “A investigação sempre traz um apelido que seria do irmão de Edvaldo, com quem ele não tem contato há dez anos. Em algum momento, que não sabemos como, o nome do Edvaldo foi associado a esse apelido”, disse o advogado.

O g1 tentou contato às 11h10 por telefone e e-mail com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia pedindo informações sobre o caso, mas não teve retorno até a última atualização dessa reportagem.

Edvaldo tem familiares em São Paulo e na Bahia, mas mora em Caldas Novas há sete anos. Ele não tem contato com os parentes há vários anos. Documentos juntados pela defesa mostram que ele estava trabalhando regularmente, sem faltas, em um condomínio da cidade.

Além disso, há registros dele em atividades religiosas em uma igreja, também em Caldas Novas.

“Não é justo um inocente estar pagando no lugar de outra pessoa. Ele tem filho, tem mulher, tem o trabalho dele. Nós estamos precisando dele aqui, dependemos dele”, disse a esposa.

O advogado informou que já fez um pedido à Justiça na Bahia para que ele seja solto. O auxiliar de serviço gerais segue preso em Caldas Novas.

O Ministério Público da Bahia disse que já se manifestou à Justiça sobre o pedido feito pela defesa e que o processo será enviado ao tribunal para que seja julgado.

Via: G1 Goiás