Depósitos de gás de cozinha são fiscalizados pelo PROCON Goiás após reajuste de 16,06%

Economia / 520

A fiscalização ocorre com o objetivo de evitar preços abusivos na venda aos consumidores.

Na manhã desta quarta-feira (23), o Instituto de Defesa do Consumidor (PROCON) de Goiás intensificou a fiscalização em diversos depósitos de gás de cozinha em Goiânia e em Aparecida de Goiânia. Os agentes da autarquia estão de olho nas revendedoras de gás, examinando uma possível prática de preços abusivos na venda do produto. A intensificação ocorre após o reajuste de 16,06% autorizado pela Petrobras, vigente desde o dia 11 desse mês, nas refinarias.

Os fiscais estão pedindo a apresentação das notas fiscais dos últimos 30 dias, para confrontar os preços dos últimos meses, e verificar como o aumento foi repassado aos consumidores. O Procon informa que irá autuar as empresas se for constatada a prática abusiva

De acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Combustível (ANP), nos últimos 12 meses, o preço do gás de cozinha sofreu uma elevação de 23,2%.  

O Instituto de Defesa do Consumidor (PROCON), alerta que caso o consumidor suspeite de preços abusivos, acione imediatamente o telefone 151 (Goiânia) ou (62) 3201-7124 (interior). O atendimento também pode ser realizado no Procon Web (proconweb.ssp.go.gov.br).