Morador de Caldas Novas é solto após ficar 14 dias preso por crime que não cometeu

Policial / 454

O auxiliar de serviços gerais Edvaldo Andrade Santos, de 48 anos, foi preso, por engano, por um crime cometido na Bahia

Um homem preso injustamente foi solto hoje depois de 14 dias detido em Caldas Novas, a cerca de 168 km de Goiânia. O auxiliar de serviços gerais Edvaldo Andrade Santos, de 48 anos, foi preso por engano por um crime cometido na Bahia e foi solto na última sexta (21).

Na saída do presídio, em um emocionante reencontro com sua família, Edvaldo desabafou que ficar preso foi uma experiência muito difícil, sobretudo porque ele é inocente do crime pelo qual estava cumprindo a pena. O trabalhador afirmou que provar sua inocência foi muito difícil.

Edvaldo foi preso por engano por um crime cometido em Ruy Barbosa (BA)
Segundo o advogado da família, Adoelton Lima, o auxiliar ficou preso no período entre o dia 7 a 21 de janeiro. A investigação e o mandado de prisão foi expedido na cidade de Ruy Barbosa, no estado da Bahia, onde as investigações se iniciaram. O crime atribuído a Edvaldo teria ocorrido na cidade entre os meses de fevereiro de julho e 2021.

Adoelton afirma que, na investigação, sempre era mencionado um apelido que seria do irmão de Edvaldo, com quem ele não tem contato há uma década. O advogado ainda diz que não sabe exatamente como o nome de Edvaldo foi associado ao crime cometido em Ruy Barbosa.

O auxiliar tem familiares em São Paulo e na Bahia, mas reside em Caldas Novas há sete anos. Edvaldo não tem contato com os parentes que vivem em outros estados há vários anos.

Documentos juntados pela defesa provaram ao Judiciário que Edvaldo estava trabalhando regularmente, sem faltas, em um condomínio localizado no município. O advogado ainda comprovou participação de atividades religiosas do trabalhador em uma igreja, também em Caldas Novas.