Em Caldas Novas, motorista de aplicativo é atropelado por taxista após discussão

Policial / 1326

Segundo a vítima, confusão ocorreu depois de ele deixar um cliente na rodoviária da cidade. Em depoimento, taxista afirmou que agiu em legítima defesa porque achou que o condutor estava armado.

Uma câmera de monitoramento registrou quando o motorista de aplicativo Alexsandro Soares, de 48 anos, foi atropelado por um taxista, na tarde do último domingo (21), em Caldas Novas, na região sul de Goiás. De acordo com o condutor, minutos antes do atropelamento, os dois haviam discutido na rodoviária da cidade depois que ele deixou um cliente no local.

“Eu estava deixando um cliente na rodoviária. Quando ele me viu, já começou a me xingar, falando que não gostava de motorista de aplicativo. Em seguida, partiu para cima de mim e me deu um murro na cara. Saí da rodoviária para evitar algo pior, e ele veio com o carro atrás de mim”, contou.

Segundo a Polícia Civil, após a confusão, ele se apresentou na delegacia da cidade, na companhia de um advogado, e afirmou que agiu em legítima defesa.

“Ele contou que foi buscar uma pessoa na rodoviária e ao chegar lá começou a discutir com a vítima porque achou que ele estava querendo tomar a cliente dele. Afirmou que só atropelou o motorista porque achou que ele tinha uma arma e iria atirar nele”, afirmou o delegado Rogério Moreira.

Nas imagens é possível ver que às 15h13 os dois carros descem a rua em alta velocidade. Em certo momento, o taxista parece jogar o táxi contra o carro onde estava motorista de aplicativo. Em seguida, o taxista desce, dá um murro na parte traseira do veículo e volta para o táxi. Logo depois, o motorista de aplicativo também desce do carro e vai em direção ao taxista, momento em que é atropelado.

Após ser atropelado, Alexsandro foi resgatado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade, onde foi constatado que ele sofreu uma fratura no fêmur.

Por conta da gravidade da lesão, ele foi transferido para o Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo (Crer), em Goiânia, onde irá passar por uma cirurgia na terça-feira (22).

Investigação

Segundo o delegado, um inquérito foi instaurado para apurar os fatos. De acordo com ele, o taxista é investigado por lesão corporal, mas nenhuma linha de investigação está descartada.

“Pelo que foi apurado, ainda não podemos afirmar que ele tinha a intenção de matar a vítima. Ainda vamos ouvir algumas testemunhas, a própria vítima e iremos realizar algumas diligências para que o caso seja esclarecido” afirmou o delegado.