Flexibilizações para o comercio e atividades turísticas em Caldas Novas (GO) podem movimentar a economia local

Turismo / 827

Segundo executivo da rede de hotéis diRoma, o retorno dos 50% permitidos para ocupação máxima e a não obrigatoriedade do teste Covid-19 para check-in deve alavancar o "turismo de hotel e parque" na cidade

Após 19 dias cumprindo um decreto mais restritivo para as atividades comerciais e do turismo, principal setor da economia local, Caldas Novas (GO) terá duas semanas de flexibilizações que aumentam para 50% a capacidade máxima de ocupação para hotéis e parques e altera o horário de funcionamento do comércio da cidade.

Com as novas medidas o setor hoteleiro espera reverter adiamentos dos visitantes recorrentes à cidade e conter os cancelamentos de quem não estava disposto a aumentar os custos da viagem pagando pelo exame que era exigência na hora do check-in. Segundo o Superintendente do Grupo diRoma, Aparecido Sparapani “Com a não obrigatoriedade de apresentar o exame para COVID nós estamos trabalhando para que os clientes voltem a fazer suas reservas. Sabemos que o custo do exame foi fator decisivo para muitos cancelamentos, queremos reverter isso”.

O trabalho intenso para atender as exigências sanitárias fez dos hotéis locais cobiçados pelos turistas, independente do destino. Para uma cidade com tradição hoteleira como Caldas Novas atender essa demanda exigiu celeridade para adequar as instalações e serviços ao então chamado “novo normal”. Antes da reabertura dos empreendimentos, em agosto de 2020, os hotéis diRoma passaram por um intenso e curto período de mudanças que incluíram treinamentos e adaptações para que fosse assegurada a segurança sanitária dos hóspedes e colaboradores.

“Conseguimos atender a todas as exigências em duas semanas para a reabertura dos hotéis e do Acqua Park. Estamos mantendo e aprimorando o que é necessário para continuar oferecendo a experiência dos clientes, mesmo tendo as piscinas como foco no lazer dos clientes. Graças a essa dedicação conquistamos a confiança dos turistas já que estar num hotel ou parque aquático com todos os protocolos sendo aplicados é muito seguro”, acrescenta Sparapani.

Via: Canal do intercâmbio.