Devido à situação de calamidade, parques de Goiás seguem fechados à visitação

Brasil / 678

Determinação vale para todas as UCs inseridas em municípios classificados em “situação de calamidade” e somente poderão ser reabertas quando a classificação for alterada para “crítica” e/ou de “alerta”. Reabertura dependerá de restrições de acordo com a realidade de cada parque

A portaria publicada pelo Governo de Goiás no início do mês de março, que trata do agravamento da pandemia no Estado, fechou Unidades de Conservação (UC) para visitantes e turistas. A medida atinge os 13 parques estaduais – desses, oito são abertos à visitação –, a Estação Ecológica da Chapada de Nova Roma e a Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) Águas de São João.

Segundo conta o superintendente de Unidades de Conservação e Regularização Ambiental, Flávio Lopes Ribeiro, o texto da portaria afirma que, quando a Unidade de Conservação estiver inserida em municípios classificados em “situação de calamidade”, o local deverá ser fechado à visitação. E que a UC somente poderá ser reaberta quando a classificação for alterada para “situação crítica” e/ou de “alerta”.

Ainda de acordo com o superintendente, o órgão que determina essa classificação é a Secretaria Estadual de Saúde (SES). E lembra que, “quando a situação estiver crítica ou de alerta, o parque poderá reabrir, porém com restrições de acordo com a realidade de cada parque”, alerta Flávio Lopes Ribeiro.


Paque Estadual Serra de Caldas - Pescan - é um dos que estão fechados

Protocolos sanitários

Para que as UCs possam receber os visitantes ou turistas é necessária a observância a todos os protocolos determinados pelas autoridades sanitárias. Entre eles a redução do número de pessoas, que será avaliada segundo a capacidade de cada parque, uso obrigatório de máscara facial, disponibilidade de álcool gel, entre outros.